As mulheres e a paixão platónica

São muitas as mulheres principalmente as mais românticas que ao longo da sua vida se encantam e se deslumbrem facilmente por determinadas pessoas. Quando isso acontece, elas acabam por sentir uma ligação especial, um sentimento intenso que aos seus olhos parece simplesmente perfeito e ideal, mesmo sem haver qualquer contacto real ou seja, uma paixão platónica.

A paixão platónica é idealizada e unilateral; algumas vezes é passageira e inofensiva, outras vezes dura até bastante tempo e torna-se muito marcante. Tudo depende de cada pessoa e de cada situação.

As paixões platónicas são muito comuns durante a adolescência, principalmente em pessoas que sejam mais introvertidas ou tímidas em relação aos seus sentimentos. É bastante habitual uma adolescente apaixonar-se por um certo professor ou pelo irmão da sua melhor amiga, por exemplo. Na maior parte das vezes, estes são sentimentos secretos e quase sempre não correspondidos, sem grande hipótese de se tornarem uma relação – há claro excepções à regra, mas na maioria dos casos é o que acontece.

No entanto, este tipo de paixão não se limita apenas ao período da adolescência. Na verdade, há mulheres que possuem mesmo uma tendência para viver frequentemente paixões platónicas, independentemente da sua idade ou fase de vida. Ao fazê-lo, estas mulheres escondem-se na sua imaginação e idealizam a pessoa e a relação perfeita para si.
As mulheres e a paixão platónica

Os limites de uma paixão platónica

Muitas vezes as paixões platónicas têm origem também na admiração por celebridades, que apenas conhecemos através das revistas, do cinema ou da televisão. Há os cantores, actores e muitos outros artistas e personalidades que admiramos pelo seu talento e poder ou apenas que gostamos pelo seu aspecto.

Nestes casos, o contacto real com a outra pessoa é nulo, o que torna a paixão platónica ainda mais irreal. Mas isso não impede a mulher de sonhar, idealizar e até sentir que conhece a outra pessoa – muito pelo contrário. Talvez até por não haver esse contacto físico, seja mais fácil para a mulher imaginar como a pessoa seria ideal para ela. Assim, as mulheres facilmente baralham a admiração pela paixão e acabam por viver um sentimento muito intenso que por vezes leva à obsessão.

E o perigo destas paixões está mesmo aí no exagero. Desta forma, algumas pessoas são da opinião que uma paixão platónica é baseada em algo falso e evitam-nas por considerarem que são uma perda de tempo: um sentimento não correspondido que não lhes leva a lado nenhum. Porém, para outras mulheres, o que importa realmente na paixão platónica é ficar simplesmente a imaginar, sem pensar em concretizar aquilo que se imagina. E muitas vezes a sua intenção não passa mesmo pela concretização, mas apenas pelo sonho.

Devo encarar a paixão como algo positivo ou negativo?

Apaixonar-se platonicamente tem, como tudo, o seu lado positivo e negativo. Até pode ser algo considerado normal e saudável mas o segredo está em saber não exagerar para não sofrer demasiado e de uma forma constante.

Outro motivo para estas paixões não serem em demasia é o facto de elas retirarem espaço para a mulher poder conhecer alguém de verdade e viver uma paixão ou um amor real limitando assim as suas experiências amorosas.

Por estes motivos, as paixões platónicas são entendidas por vezes como um sinal de imaturidade emocional ou de medo em expor os seus sentimentos e lidar com uma relação verdadeira. De facto, a paixão platónica é uma forma de sonhar com o romance perfeito e de se proteger simultaneamente de qualquer romance. É como viver o amor através de sonhos, sem necessidade de arriscar e sem possibilidade de se frustar. Assim, não se esforça por conquistar a outra pessoa, mas também não sente na pele a verdadeira felicidade dessa conquista o que também leva a sofrimento.

Daí que para algumas mulheres, a paixão platónica seja sinónimo de dor. Mas é importante lembrar que isso não acontece só na paixão platónica qualquer sentimento amoroso acaba por ser algo penoso ou doloroso a certa altura. Não existe nenhuma relação perfeita, nem constituída apenas por momentos de felicidade o que importa é conseguir manter o melhor equilíbrio para si e não deixar que qualquer paixão seja demasiado prejudicial para a sua vida.

Mulher entre muitas outras! --