A mulher enquanto chefe de família

O nosso mundo mudou bastante. Aliás, o mundo está sempre em constante mudança e faz parte do ser humano evoluir e adaptar-se a novas realidades. Mas aqui falamos mais concretamente nas mudanças da sociedade e por consequência, a alteração dos papéis que cada um desempenha nessa mesma sociedade.

Em relação ao contexto familiar, por exemplo, já não existem as mesmas regras rígidas como à uns tempos atrás, em que a mulher é simplesmente a dona de casa responsável pelos filhos e pelo lar, enquanto o homem é o único trabalhador que sustenta toda a família.

Com a emancipação feminina, tornou-se aos poucos cada vez mais comum e aceitável ver a mulher de outra forma. Ou seja, ela agora estuda os assuntos que lhe interessam, aposta numa carreira profissional e no fundo faz as suas próprias escolhas e arca com as consequências, sendo capaz de cuidar de si mesma e responder pelas suas ações. A mulher tornou-se assim bem mais independente, ganhou liberdade e passou a lutar pela igualdade de direitos e deveres face ao homem.

Assim, no seio da família, a mulher pode passar a ter um novo lugar ao assumir mesmo a liderança.mulher-chefe-de-família

A variedade de famílias

A ideia geral que todos temos da típica família foi-se alterando ao longo dos tempos e hoje em dia existem na verdade diferentes tipos de família, consoante os seus membros.

Assim, para além da família mais tradicional composta por pai, mãe e filhos existem as chamadas famílias pós-modernas, onde não há regras básicas de parentesco. Assim, conhecemos casais sem filhos, famílias monoparentais femininas e masculinas, uniões homossexuais, famílias misturadas com madrastas ou padrastos e filhos dessas outras pessoas… São diversas as situações hoje em dia, e cada uma delas origina um estilo de vida diferente, pois a a dinâmica interna da família muda consoante o número de membros, por exemplo.

Mas no fundo, o que interessa é conseguir manter a família unida e feliz, onde haja cumplicidade, amor, entre-ajuda, respeito e compreensão. É importante fomentar um ambiente saudável, de paz e descontração, de forma a que as relações entre os vários membros da família sejam as mais positivas possíveis!

Por agora, vamos nos centrar especificamente nas famílias monoparentais femininas, ou seja, as mães solteiras que cuidam de si, da casa e dos seus filhos. Esta é uma forma de encarar a mulher como chefe de família, algo que seria um pouco impensável à uns séculos atrás.

Os papéis da mulher nos nossos dias

Hoje em dia, a mulher encara a sua vida segundo vários papéis:

Antes de mais é simplesmente uma mulher, que precisa de cuidar de si e ter em atenção as suas próprias necessidades, para se manter confiante, bonita e feliz. É neste campo que entra também o romance e os relacionamentos, independentemente de ser ou não esposa.

Além disso, é uma profissional, que se dedica à sua carreira quer seja apenas por motivos financeiros ou mesmo por realização pessoal, sentindo-se assim melhor consigo própria.

E é mãe, que educa e cuida dos seus filhos, certificando-se que têm sempre o que precisaram para se sentirem saudáveis, felizes e seguros. Depois há ainda a acrescentar o tempo necessário para o diálogo familiar e também para o lazer e as brincadeiras, que são importantes para se promover uma boa ligação entre todos e um bom ambiente em casa.

A mulher ao assumir estes diferentes papéis, torna-se afinal o ponto central da família monoparental. Ela é a responsável pela casa, gere a parte financeira, sustenta a família, vai às compras, trata das refeições, ajuda e educa os filhos… É mesmo a chefe de família!

Partilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter